• LMF São Carlos

O que é uma Asset Management?

A área de Asset Management é responsável pela gestão de recursos dos clientes (pessoa física ou pessoa jurídica), principalmente, através dos seus fundos de investimentos. Quando um cliente contrata o serviço de asset management, ele está terceirizando a administração de seus investimentos a um especialista, cuja função é buscar o maior retorno possível, com os menores custos e considerando também os riscos das aplicações.

Ao contrário de uma corretora que, apesar de poder prestar assessoria, apenas executa as ordens de seus clientes, na Asset management as decisões são tomadas diretamente pela equipe de gestão. A remuneração do serviço costuma incluir uma taxa de administração e um percentual sobre os retornos obtidos, a depender do produto escolhido pelo cliente.



Os responsáveis por gerir esses recursos são os Asset managers. Além de comprar e vender os ativos do cliente, os gestores realizam o estudo necessário para que seja desenvolvida a melhor estratégia para os seus objetivos financeiros. Desse modo, o Asset Manager deve tomar as próprias decisões de alocação desses ativos. O cliente deve, sim, ser mantido a par de todo o processo (inclusive como prática de transparência), mas o gerente tem total autonomia quanto às atividades. No que investir, por quanto tempo, qual é o melhor momento para realizar a retirada, como diminuir os custos de manutenção desse ativo… Essas e outras questões são parte importante do dia a dia da gestão de ativos.

Em geral, o trabalho do Asset Manager é resguardado por uma especializada equipe de apoio, que se encarrega de angariar informações a respeito de todas as áreas capazes de influenciar as suas decisões.

Fundos de Investimentos vs. Carteiras Administradas


Muito se pergunta sobre o que as Asset Managements fazem de fato. A partir daí, entram os conceitos de Fundos de Investimento e as Carteiras Administradas. Você sabe qual a diferença entre eles?

Os Fundos de Investimento são “pacotes” de ativos financeiros adquiridos a partir dos recursos dos investidores, que podem ser pessoa física ou pessoa jurídica. Para isso, os Fundos são divididos em cotas, pequenas partes do todo que podem ser adquiridas pelos investidores (cotistas) e os ganhos obtidos com as aplicações são divididos entre os participantes, na proporção do valor depositado por cada um. Para isso, o investidor paga uma espécie de mensalidade para a administração, chamada de taxa de administração, que pode variar entre os fundos de investimento.

A soma do dinheiro dos investidores forma o patrimônio do fundo, que é aplicado por uma instituição. As decisões sobre o que fazer com os recursos cabe aos gestores do fundo e não aos investidores, e devem obedecer objetivos e políticas predefinidos. Os investimentos podem ser bem-sucedidos ou não – e isso determinará a valorização ou desvalorização das cotas dos fundos.

Existem fundos de diversos tipos de ativos: Fundos de Renda Fixa, Renda Variável, Câmbio, Imobiliário, entre outros. Cada um possui suas características e seus riscos vinculados. Sendo de responsabilidade do investidor procurar qual fundo se adequa ao seu perfil de investimento (importante ler a lâmina e o regimento do fundo para saber onde ele aplicará seu dinheiro, quais os riscos vinculados, histórico de performances, entre outras informações úteis).

Diferentemente dos Fundos de Investimento, que são um produto financeiro das Assets, as Carteiras Administradas são um serviço financeiro que pode ser oferecido por um profissional ou por uma instituição (Asset Management).

O serviço de carteira administrada permite delegar a alguém o trabalho de montar o seu portfólio de investimentos, executando todas as movimentações necessárias para isso, de acordo com o perfil e os objetivos da pessoa ou empresa.

O administrador de uma carteira pode, por exemplo, escolher em quais ativos aplicar ou quando fazer o rebalanceamento de um portfólio. Essas decisões podem ser tomadas pelo administrador da carteira sem a necessidade de intervenção do cliente, tornando esses processos bem mais ágeis.

Desse modo, as carteiras são algo muito mais particular e específico, diferente de um produto aberto para os investidores. Sendo um serviço terceirizado de administração dos investimentos de uma pessoa ou empresa. Diferente dos Fundos, nas Carteiras não há divisão em cotas, visto que todos os recursos disponíveis para o gestor advém de um cliente específico.


Autor: Felipe Laranjeira | linkedin


Referências

https://blog.magnetis.com.br/carteira-administrada/

https://www.investidor.gov.br/menu/primeiros_passos/Investindo/Tipos_Investimento/Fundos_Investimento.html

https://www.infomoney.com.br/guias/fundos-de-investimento/

https://blog.rico.com.vc/fundos-de-investimento

https://www.capitalresearch.com.br/blog/investimentos/asset-management/