• LMF São Carlos

Explicando o Short Squeeze

Short squeeze é um movimento do mercado que ocorre quando uma ação ou outro ativo sobe vertiginosamente. Os investidores que estavam vendidos (chamados de short) são quase que “esmagados” (squeeze) pela pressão do mercado e compram o papel para prevenir perdas ainda maiores. Esse movimento de compra contribui para que o preço do ativo suba mais ainda.


Para entender melhor, existem duas operações principais utilizadas nas negociações de ativos da bolsa de valores: long e short.

  • Operar em long: ou quando um investidor está “comprado”, é quando o indivíduo compra uma ação apostando que seu preço irá subir, para depois, vender por um preço mais alto do que comprou.

  • Operar em short: ou quando um investidor está “vendido”, é quando o indivíduo negocia uma ação apostando que seu preço irá cair. Durante esse tipo de operação o investidor aluga ações de outros investidores, as vende pelo preço atual e posteriormente, recompra os papéis (por um preço mais baixo) e devolve ao seu dono original. Essa diferença nos preços será o lucro que o investidor terá com a operação.

Sintetizando, o short squeeze ocorre quando o mercado reage de maneira contrária ao que os investidores vendidos esperam. Ao invés do preço cair, ele sobe e os investidores compram o papel por um preço maior que esperavam para realizar o short, evitar que o preço suba ainda mais e consequentemente, atenuar os prejuízos.



Como o Short Squeeze ocorre?


Como citado, os investidores que operam em short acreditam que o preço do papel em questão irá cair em um período determinado. Porém, por mais sólido que seja o raciocínio, os short-sellers podem ser surpreendidos por boas notícias da companhia, anúncio de novos produtos ou geração de lucro que despertam o interesse de compradores. Ademais, também podem ocorrer movimentos especulativos que influenciem positivamente no valor do ativo, desconsiderando os resultados entregados pela empresa.


A reviravolta nas cotações pode ser temporária, mas caso contrário, os investidores que se encontravam vendidos podem se deparar com grandes prejuízos com a aproximação da data de expiração de suas posições. Normalmente, a decisão tomada é de abandono da posição o quanto antes.



Como prever um possível Short Squeeze?


Há duas métricas utilizadas para identificar ações que se encontram em risco de sofrerem um short squeeze, são elas o short interest e o short-interest ratio. Short interest é o número de ações negociadas em posições short como porcentagem do número total de ações que a companhia possui. E o short-interest ratio representa o número total de ações vendidas em short dividido pelo volume médio diário de ações negociadas da companhia. Ativos com alto potencial de especulação tendem a ter altos short interest e short-interest ratio em relação a companhias mais estáveis.


Observar essas duas métricas pode ajudar na identificação de mudanças no feeling do investidor sobre determinadas companhias. Por exemplo, se uma empresa possui normalmente um short interest de 15% a 30%, uma mudança tanto para baixo quanto para cima desse intervalo pode ser um sinal de mudança de visão dos investidores. Mudanças sutis podem ser sinais de aumentos meramente rápidos nas cotações ou de que os short-sellers estão retirando suas posições, pois o papel se tornou muito estável.


No entanto, um aumento acima do normal no short interest pode indicar que os investidores estão com uma visão mais “bearish”. Mas, vale ressaltar que dependendo do aumento, pode ser sinal de que um possível short squeeze venha acontecer caso haja qualquer aumento da cotação.



GameStop: o mais recente e polêmico Short Squeeze


No começo do ano de 2021, as ações da GameStop, empresa varejista de games e entretenimento, tiveram uma disparada histórica em seus preços. Anteriormente a esse fato, as ações da companhia americana vinham em constante desvalorização e eram um grande alvo de operações em short.


O boom aconteceu após um movimento na internet, mais precisamente em um fórum online chamado Reddit, onde um grupo de investidores resolveu comprar as ações em massa. Com isso, o valor das ações da GameStop começou a crescer e os investidores e fundos que estavam operados em short começaram a realizar suas posições e comprar as ações antes que seus preços se elevassem mais.


Como a demanda pelas ações cresceu muito e rapidamente, seus preços também subiram vertiginosamente. Além disso, muitas pessoas que haviam alugado suas ações para os short-sellers, pediram elas de volta, obrigando os mesmos a recomprarem as ações em um preço bem mais elevado. Sem contar com o número de investidores que compraram os papéis para operar em long aproveitando a rápida ascensão.



Grafico da GME
Gráfico das ações da GameStop


Por fim, como resultado de todo esse movimento, as ações da GameStop que no começo de janeiro deste ano estavam avaliadas em U$20,00 aproximadamente, saltaram para U$347,51 em 15 dias. Com isso, diversos investidores e inclusive um grande hedge fund chamado Melvin tiveram prejuízos bilionários. Em contrapartida, houve uma quantidade de investidores que conseguiram aproveitar a onda obter lucros significativos ao operarem em long.


Contudo, por mais que a GameStop tenha tido um aumento gigantesco no valor de seus papéis, a empresa continuou entregando resultados tímidos e pouco atrativos. Esse caso mostra que, embora a bolsa de valores opere em condições normais na maior parte do tempo - de acordo com as leis do mercado baseadas nos resultados entregados pelas companhias - a especulação é capaz de causar mudanças bruscas na flutuação dos preços, muitas vezes baseada mais no frenesi do que em resultados concretos.



Fontes: Investopedia, Investing, Yahoo Finance e Blog Nubank.

Autor: Gustavo Engler | LinkedIn