Explicaê 2.3 - As autoridades antitruste americanas autorizaram a compra da suíça Syngenta pela chin


ChemChina, como a empresa de capital fechado e conhecido, ofereceu US$ 465 por ação em dinheiro, totalizando um acordo de US$ 43 bilhões. A oferta, avaliada pelo conselho da Syngenta, é cerca de 20% maior do que o último fechamento da ação. A ChemChina está pagando 17 vezes os ganhos de 12 meses da Syngenta, superando os múltiplos pagos em 10 negócios comparáveis, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

*múltiplos: são indicadores utilizados para a avaliação de uma empresa ou um ativo financeiro. Os resultados obtidos por cada múltiplo de uma companhia pode ser comparado com os resultados que vertem múltiplos de uma ou mais outras entidades. Neste sentido, eles são muito úteis para analisar e comparar as ações de uma empresa com outras do mesmo setor.

*Autoridades Antitruste: Órgão que se destina a punir práticas anticompetitivas que usam o poder de mercado para restringir a produção e aumentar preços, de modo a não atrair novos competidores, ou eliminar a concorrência

Por que o governo chinês decidiu comprar a Syngenta?

A compra da Syngenta pela empresa pública ChemChina não só responde a interesses comerciais. Também tem a ver com uma estratégia nacional da China, um país que precisa abastecer uma grande população, com poucas terras aráveis. A China tendo a sexta maior área plantada com transgênicos no mundo , mas ainda muito longe da liderança de EUA,Brasil e Argentina , tentou sem sucesso promover pesquisas próprias em sementes.

A Syngenta é uma empresa notoriamente conhecida pelo alto nível de pesquisa na área de biotecnologia forneceria a China um forte impulso à sua produção agrícola.

Por isso, a necessidade de utilizar os cultivos transgênicos para aumentar a produção, além da compra ações de empresas agrícolas com o objetivo de garantir o abastecimento de alimentos para uma população mais numerosa e mais rica.

Por que o EUA estava preocupado com a compra?

Os argumentos são agrícolas, como deveriam ser, mas se escondem atrás de posições geopolíticas, soberanas e de longo prazo. A China restringe importações de soja e milho transgênicos, sobretudo dos EUA. Com o Brasil pega mais leve, não disputa hegemonia conosco. Mas, quando com estoques altos, usa de embargos passageiros.

Agroquímicos e organismos geneticamente modificados têm fabricação expressiva nos EUA, na Alemanha e Suíça. A Syngenta domina o mercado americano com os herbicidas mais utilizados na américa e a Chemchina é detentora de todos os genéricos dos mesmos, assim, a China causa uma preocupação, afinal não vão abrir mão da biotecnologia, ainda mais que sua consciência ambiental não é das mais virtuosas. Assim, a aquisição da Syngenta seria, ao mesmo tempo, uma forma de dar tempo para que a biotecnologia agrícola chinesa avance, além de ralentar o dinamismo do Ocidente.

Qual a importância dessa fusão para o Brasil?

No Brasil, há rumores de que uma China autossuficiente em alimentos, fibras e energias renováveis secaria o saldo positivo de nossa balança comercial, porém, segundo o presidente executivo da multinacional suíça, Erik Fyrwald, a estatal chinesa está comprando a multinacional apenas por questões estratégicas para a segurança alimentar chinesa. Segundo Erik "a ideia é incrementar a colaboração na cadeia de valor com o Brasil, fornecendo 'inputs' aos agricultores. Quanto mais produtivos, com novas tecnologias, mais esses agricultores poderão exportar para a China".

O que muda para os concorrentes a fusão?

A atual líder no mercado de sementes geneticamente modificadas, Monsanto, é ameaçada pela criação de um gigante da Dow-DuPont quando a fusão for concluída.

Acompanhando o ritmo de grandes fusões entre as maiores produtoras de sementes e herbicidas a Monsanto, que era até então líder no maior mercado consumidor do mundo em sementes e herbicidas e que estaria claramente ameaçada, entrou em uma negociação com a Bayer que deverá ser concluída no final de 2017 início de 2018. Sendo assim o mercado de sementes e pesticidas irá caminhar de maneira próxima ao que já vem sendo, fechando a maior parte do mercado nas 3 grandes empresas formadas por essas 3 grandes fusões, Dow-Dupont, ChemChina-Syngenta e Monsanto-Bayer.



*crop protection: proteção das culturas

*seeds: sementes

https://www.bloomberg.com/news/articles/2016-02-03/chemchina-offers-to-purchase-syngenta-for-record-43-billion


0 visualização

LMF São Carlos © 2014-2020 todos os direitos reservados